Top
Como acabar com mágoas e sofrimentos para ser feliz!
fade
3516
post-template-default,single,single-post,postid-3516,single-format-standard,eltd-core-1.1.1,flow-ver-1.3.6,,eltd-smooth-page-transitions,ajax,eltd-grid-1480,eltd-blog-installed,page-template-blog-standard,eltd-header-type2,eltd-sticky-header-on-scroll-up,eltd-default-mobile-header,eltd-sticky-up-mobile-header,eltd-dropdown-default,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Como acabar com mágoas e sofrimentos para ser feliz!

Como acabar com mágoas e sofrimentos para ser feliz!

Tenho certeza que você já passou por alguma coisa na vida que trouxe mágoa e sofrimento.

 

 

 

Todo mundo passa por isso, mas é preciso acabar com mágoas e sofrimentos para ser feliz.

 

Os momentos que passamos na vida, podem nos trazer aprendizado e sabedoria. Mas se foi algo muito difícil, pode gerar traumas, desilusões, mágoas e muito sofrimento. Esses sentimentos ruins tornam nossa caminhada difícil e penosa. Por isso, é preciso se ver livre dessa ligação para poder dar continuidade a nossa existência de forma mais leve e próspera. Por isso é preciso acabar com mágoas e sofrimentos para ser feliz.

 

 

A fim de expulsar essas personalidades antigas é preciso lidar com dívidas emocionais antigas e isso pode ser feito sem a dor que a maioria das pessoas sentem quando pensam em tocar nesses sofrimentos mais íntimos. Não é preciso ativar um campo minado. Esse processo pode se desenvolver naturalmente, e quando isso acontece, sentimos alívio e uma onda de bem-estar.

 

 

No programa Manha da Mais, trouxe uma técnica proposta por Deepak Chopra (escritor, médico indiano radicado nos Estados Unidos) no livro “Você tem fome de que?”, esta atividade completa foi chamada de “liberdade emocional” e se apresenta em 7 etapas.

 

Para se libertar das amarras emocionais, leve o tempo que julgar necessário em cada etapa e não vá adiante enquanto não sentir que funcionou. (A maioria das pessoas prefere ter um parceiro nesse exercício. A presença de outra pessoa propicia a segurança de não estar sozinho nem sem apoio.

 

 

PASSO 1 – RECORDE UMA EMOÇÃO

Com os olhos fechados, evoque uma experiência emocional que esteja causando mal-estar. Com clareza e de modo vivido, relembre as circunstâncias. Pode ser uma experiência constrangedora ou ou uma rejeição que sofreu; o sentimento talvez gire em torno da perda ou fracasso. Não generalize, seja específico. Você está chamando um gatilho emocional de volta. Se essa lembrança for muito incômoda, abra os olhos e respire fundo algumas vezes. Quando se sentir menos sobrecarregado, feche os olhos denovo e continue.

 

PASSO 2 – SINTA A EMOÇÃO NO SEU CORPO

Observe onde foi que essa emoção se alojou no seu corpo. Ao se recordar de uma emoção incômoda, a maioria das pessoas tem uma sensação de aperto, enrijecimento, desconforto e até dor no estômago ou no coração. Para algumas pessoas, a sensação será na garganta ou uma dor de cabeça. Localize sua sensação. Se num primeiro momento não sentir nada, relaxe, respire fundo, e sintonize-se de leve com seu corpo. Há quem possa se sentir entorpecido, num sinal de que essa emoção profunda está ligado ao medo. Mas todo mundo acaba sentindo alguma coisa no corpo ao fazer esse exercício. (A emoção é um pensamento conectado com uma sensação.)

 

PASSO 3 – DÊ UM NOME A SUA EMOÇÃO

Agora dê um nome a essa emoção. É medo ou raiva, tristeza ou ressentimento? A maior parte das pessoas fica surpresa ao perceber que não tinha identificado antes a emoção. “Não me sinto bem” ou “Não estou num bom dia” foi o máximo que fizeram. Ser mais específico permite que você se concentre na bagagem na bagagem emociona que deseja liberar. Portanto, leve o tempo que quiser para perceber exatamente o que está sentindo. Para ajuda-lo, seguem as emoções negativas mais comuns que as pessoas carregam.

Raiva, hostilidade, ódio

Tristeza, pesar, mágoa

Inveja, ciúme

Ansiedade, medo, preocupação, apreensão

Ressentimento

Humilhação

Rejeição

Vergonha

 

PASSO 4 – EXPRESSE A EXPERIÊNCIA

Arrume um papel e caneta. Escreva o que aconteceu a você no passado. Anote em detalhes como você se sentiu, o que as outras pessoas fizeram com você e como reagiu.

Quando se sentir satisfeito por ter expressado tudo, pegue uma segunda folha de papel e reconte o mesmo incidente do ponto de vista de outra pessoa envolvida. Faça de conta que você é essa pessoa. Escreva o que estava sentindo, por que agiu, como agiu e como reagiu depois. Essa parte é a mais difícil de escrever do que o seu ponto de vista do incidente, mas fique firme – vai ser um grande passo para se livrar desse peso do passado.

 


Quando ficar satisfeito com o que escreveu , pegue uma terceira folha de papel e relate o mesmo acontecimento como se fosse uma reportagem de jornal de um jornal, escrevendo em terceira pessoa. Como um observador objetivo contaria o incidente em questão aos seus leitores? Dê os detalhes com o máximo de objetividade e imparcialidade possível. Este passo leva mais tempo que os anteriores, mas as pessoas gostam muito dele. Descobrem que não estão mais presas ao próprio ponto de vista. Podem invocar outras vozes, outros olhares, e assim ter uma sensação de distanciamento. É libertador.

 

PASSO 5 – PARTILHE A EXPERIÊNCIA

Agora, partilhe essa experiência lendo o relato para alguma outra pessoa. Em um grupo as pessoas ficam ansiosas para partilhar, e o clima é de alto astral, cheio de entusiasmo e riso. A perspectiva de se livrar emocionalmente do passado é estimulante. Portanto, se está fazendo o exercício em casa, um parceiro ou um grupo pequeno aprimora este passo.

Também funciona bem se você estiver sozinho e tiver um bom amigo ou membro da família a quem possa telefonar. Leia as três versões para esta pessoa, certificando-se de que compreendam o motivo. Mas não peça ajuda da pessoa que lhe causou essa mágoa que você está revendo. Ela não vai compreender, e, sobretudo, não vai cooperar. Tampouco vai concordar com a sua versão – em 90% dos casos é assim. Portanto, ligue para alguém que tenha empatia e compaixão com seus problemas.

 

PASSO 6 – CRIE UM RITUAL

Chegou a hora de você se livrar formalmente dessa experiência dolorosa. Pegue seus relatos e livre-se deles. Isso é feito em um ritual em que você entrega esse passado ao fogo, ou simbolicamente a um poder superior que você reconheça: o universo, Deus, deuses, seu eu superior. Fique à vontade para planejar o próprio ritual. Queime os seus relatos e jogue as cinzas ao vento ou ao mar – há quem jogue no vaso sanitário ou faça picadinho e enterre no fundo do quintal.

Esse ritual é importante porque traça uma linha entre o seu passado e quem você é agora. Ase você expressou inteiramente as suas emoções antigas, liberte-se delas, é muito bom! Mas não se engane. Libertar-se leva tempo, e muitas vezes é preciso repetir o processo mais de uma vez, pois alguns sentimentos permanecem engasgados. Com os tempos eles irão embora, tenha paciência e seja persistente. Liberte-se do que puder hoje. É norma e natural se você tiver que se libertar dessa mesma mágoa novamente mais adiante.

 

PASSO 7 – Uma vez que soltou essa história antiga no universo, comemore esse momento de libertação. Você pode fazer isso sozinho ou com outras pessoas, desde que aprecie o passo dado. As pessoas muitas vezes pulam este passo se não forem lembradas. Não querem dar muitas importância as suas emoções – mas na verdade elas são muito importante. As emoções podem nos prender e nos amarrar, mas podem nos libertar e mudar nosso futuro.
Quando nos libertamos de uma emoção antiga é como abandonar um caminho conhecido e sem saída. É preciso mapear um novo caminho ou, nesta caso, um novo caminho no cérebro. Uma única tentativa não nos leva pelo novo caminho afora, mas já é um começo. Com um passo, você pode dar início a uma longa viagem.  

 

Carol
No Comments

Post a Comment